quarta-feira, 12 de julho de 2017

Dupla é presa em Ipiaú suspeita de pelo menos 17 homicídios em Eunápolis



Dois homens, suspeitos de matar pelo menos 17 pessoas na cidade de Eunápolis em menos de três anos, foram apresentados pela Polícia Civil nesta segunda-feira (10) após prisão ocorrida na cidade de Ipiaú por prepostos da Polícia Militar no último dia 04. Ueliton dos Santos Pereira Passos, 29 anos, o Bonerge e Kalebe Ferreira Alves, de 25, também são investigados por roubos e tentativas de homicídios. O delegado Bernardo Pacheco - titular da 1ª Delegacia Territorial-, destaca que entre os crimes que mais repercutiu está o ataque que deixou três pessoas mortas, em 11 de junho, nos bairros Juca Rosa e Rosa Neto. “Eu diria que 90% desses crimes estejam relacionados à guerra do tráfico e ao domínio de regiões por as facções criminosas”, destacou Pacheco. Para o delegado, nem sempre Bonerge executava os rivais diretamente. “Tendo em vista que ele é chefe de uma facção criminosa, podia determinar que outros praticassem os crimes”, ressalta o delegado.
A delegacia de Repressão a Furtos e Roubos também já vinha investigando a dupla. O delegado Rodolfo Faro informa que nos últimos meses Bonerge e Kalebe cometeram dois assaltos. Em um deles, um taxista que quase foi baleado. “O taxista foi abordado no circuito do Pedrão e colocado no porta-malas do próprio veículo. A vítima conseguiu sair, mas, enquanto fugia, os bandidos atiraram. Mas os disparos não acertaram o taxista”, frisa. Segundo Rodolfo Faro, já existia um mandado de prisão conta a dupla por um roubo de um carro, em junho, no bairro Pequi. “Estamos representando pela segunda preventiva em razão dos crimes cometidos contra o taxista”, ressaltou. Os acusados haviam sido presos no começo do mês, no município de Ipiaú, a cerca de 330 quilômetros de Eunápolis, sob a acusação de tráfico de droga e porte ilegal de arma de fogo.
Quatro dias depois, eles foram recambiados para a delegacia de Eunápolis. Bonerge e Kalebe negam qualquer participação nos crimes. Eles dizem que resolveram fugir da cidade porque são dissidentes de uma facção criminosa e que por isso vinham sendo ameaçados de morte. Mas para o delegado Bernardo, apesar das negativas, os indícios contra os acusados são contundentes. “Iremos remeter essas informações para a justiça, dar continuidade às investigações”, disse Bernardo, informando que a 1ª Delegacia Territorial já havia feito diversas representações à justiça, que ainda estão em análise, solicitando tanto a prisão preventiva, quanto a temporária dos dois.

FONTE: LIBERDADE NEWS

tags

0 comentários:

Postar um comentário