sexta-feira, 7 de julho de 2017

Morto no bairro da Liberdade era motorista da Uber e vigilante



O homem foi morto na na tarde desta quinta-feira (6) no bairro de Liberdade, em Salvador, era motorista do aplicativo Uber, que faz o serviço de transporte através do celular. A informação foi confirmada ao CORREIO na manhã desta sexta-feira (7) pela assessoria de comunicação do aplicativo, que afirmou que Klaiton de Lima Gomes Fonseca, 27 anos, não estava em viagem no momento em que foi assassinado. 
Além de trabalhar com o aplicativo Uber, segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Klaiton também trabalhava como vigilante. A Uber não informou desde quando ele trabalhava como motorista parceiro da empresa. 
Em nota, a PM informou que “segundo populares, o homem estava prestando serviço de transporte para uma rede de aplicativo de celular”. Policiais da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Pero Vaz) foram acionados para o local através de denúncia anônima de que um homem teria sido morto na Avenida Santo Antônio, que fica próximo ao Largo do Tanque.
“Ao chegar no local, foi encontrado uma vítima de disparos de arma de fogo dentro de um veículo. Os policiais isolaram o local e garantiram a integridade da cena do crime até a chegada dos peritos técnicos da Polícia Civil que irão investigar o caso”, destacou a PM, em nota.
Segundo a Central de Polícia, Klaiton foi morto por dois homens armados que chegaram em outro veículo e começaram a atirar contra o Palio onde ele estava. Havia marcas de tiros no vidro dos fundos do carro e na janela do motorista, que ficou inteiramente destruída. O DHPP explicou que populares disseram aos policiais que os homens fugiram em direção a uma localidade conhecida como São Cristóvão.
O DHPP informou que Klaiton não tinha passagem pela polícia e que a família dele, em depoimento, argumentou que não sabia de nenhum envolvimento dele com qualquer atividade ilícita. A 3ª Delegacia de Homicídios do DHPP está apurando o caso. Até o momento da publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso e nenhum dos autores foram identificados. 
Motoristas reclamam de insegurança 
A empresa Uber informou que o motorista assassinado não estava fazendo uma corrida no momento em que foi assassinado. Contudo, o bairro da Liberdade foi apontado pelos motoristas como um dos mais perigosos de Salvador para eles e um dos locais onde os motoristas chegaram a desligar o aplicativo para não pegar corridas.
Imagem de leitor do Correios

tags

0 comentários:

Postar um comentário