quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Alvo de críticas, festa de paredão pode ser regulamentada em Salvador



Diversão para uns, incômodo para outros. Porém, as festas de paredão em Salvador, conhecidas por utilizarem som automotivo e são organizadas por grupos, geralmente em bairros periféricos, podem ser regulamentadas. É o que propõe o vereador Maurício Trindade (DEM), que realiza nesta quarta-feira (30), a partir das 13h, no auditório do Bahia Center, uma reunião para debater o assunto.
"Salvador é uma cidade plural, existem inúmeras manifestações culturais e artísticas, e o paredão é uma delas", afirmou o parlamentar, que pretende ouvir empresários, DJs e cantores. "O objetivo é estabelecermos critérios e buscarmos, junto à Prefeitura, a regulamentação da festa, de forma que não prejudique as comunidades, respeitando as diversas leis de silêncio, mas que também as pessoas que gostam da festa continuem produzindo e frequentando. Um sem incomodar o outro. Devemos considerar também que a festa é o "ganha pão" de muitas pessoas. Acredito que assim atendemos todos os pleitos de uma cidade democrática, de diversidade cultural como a nossa ", explica. 
Recentemente, mais precisamente em dezembro do ano passado, a banda La Fúria promoveu uma grande festa de paredão, no estacionamento do Wet'n Wild, em Salvador, para gravação do seu novo DVD. O evento contou com cerca de  50 paredões, além do encontro de carros tunados, carros antigos, motos e área para manobras radicais.
Contra-mão
Dentre os fatores contrários à regulamentação estão as constantes reclamações de moradores e também a violência existente nesse tipo de festa. Em abril, por exemplo, no bairro de Periperi, um jovem de 25 anos foi alvejado com mais de dez tiros, quando participava do evento na Rua do Congo, na localidade de Nova Constituinte. 
Há cerca de três meses, no bairro da Boca do Rio, um ataque praticado por homens armados em uma das festas de paredão, na Travessa Guaratinga, na localidade da Baixa Fria, deixou dois jovens baleados. 

Bocão News.

tags

0 comentários:

Postar um comentário