sábado, 23 de setembro de 2017

CACHOEIRA: 'Doidão da Bahia' morre aos 67 anos vítima de problemas renais


http://www.fortenoreconcavo.com.br/2017/04/saiba-um-pouco-mais-sobre-clarividencia.html

Oriundo de uma família de artistas plásticos renomados no Brasil, José Cardoso Araújo 67 anos, natural de Cachoeira, no recôncavo baiano, faleceu na madrugada deste Sábado (23) em Salvador, onde lutava contra problemas renais. José Cardoso, ganhou identificação artística de 'Doidão da Bahia' diante da linha genealógica com os escultores Boaventura da Silva Filho, 'o Louco', e Clóvis Cardoso da Silva, 'o Maluco'. Doidão estava internado e respirava por ajuda de aparelhos.
Doidão ganhou destaque com exposição: "30 anos de esculturas primitivas" em 1997, qual o artista consagrou seu trabalho, vindo a comercializar peça em países como Estados Unidos, Portugal e Alemanha. Doidão também era aclamado pelas principais salas de exposições do ramo profissional.
O artista é Irmão do escultor Lourival Cardoso de Araújo Dory. Doidão, nas últimas décadas, passou a dirigir produções, orientando os mais jovens, riscando muitas peças e trabalhando na comercialização das esculturas em Cachoeira e Praia do Forte, no Litoral Norte da Bahia. Readquiriu o sítio do Alecrim, que seu tio Louco precisou se desfazer em vida.
Aí voltaram a trabalhar filhos, sobrinhos e netos de Louco. De seus sete filhos, nenhum deu continuidade à escultura como atividade, entretanto, a sua filha Itana Cardoso interessou-se por arte. Ela realizou painéis que decoravam o restaurante A Cabana do Doidão Bahia, antiga Cabana do Pai Thomaz.
Doidão foi presidente da Associação de Artistas Plásticos e Animadores Culturais de Cachoeira (AAACC) em 1987, e foi eleito representante da comunidade no Conselho Municipal de Cultural em 2011. O local do sepultamento ainda não foi informado pela família.
Com informações de  Voz da Bahia

tags

0 comentários:

Postar um comentário