sexta-feira, 24 de novembro de 2017

CACHOEIRA :'Ela morreu para proteger o filho', diz filha de idosa executada em Cachoeira



"Ela morreu para proteger o filho, para salvar o filho. Mataram minha linda, mataram minha linda". O relato, emocionado, da filha de Francisca Amorim Nogueira, 61 anos, resume o sentimento da família da vendedora que foi executada na noite de quinta-feira (23) na cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano. A filha, que prefere não se identificar, disse que a mãe estava na porta de casa quando foi morta. 
O crime aconteceu em um imóvel localizado na 1ª Travessa, no Centro de Cachoeira. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública dois homens invadiram o casarão onde morava a idosa na tentativa de capturar um dos filho dela.
                
"Os traficantes invadiram o local em busca do filho de Francisca que tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Após invadirem a casa e não encontrarem o jovem, que fugiu pelos fundos, os criminosos atiraram contra a idosa como vingança", informou a SSP, em nota.
Ainda de acordo com a pasta, policiais da 27ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/ Cruz das Almas) faziam rondas na localidade, quando ouviram os disparos. Os criminosos, segundo a versão dos policiais, atiraram contra as equipes e acabaram feridos. Ambos foram levados para o Hospital Municipal de Cachoeira, não resistiram aos ferimentos.                  
Um dos criminosos mortos pela polícia é Carlos Gleidson Carneiro de Jesus, 22 - o outro homem que estava com ele não foi identificado. Carlos já tinha sido preso por tráfico de drogas e roubo quatro vezes, de acordo com a SSP. Além das quatro prisões, Carlos também tinha dois mandados de prisão em aberto por tráfico e roubo.
Segundo o delegado Eduardo Coutinho, dois dos filhos de Francisca estavam ligados ao comércio ilegal de drogas - mas não há investigação formal deles. "Relatos dos moradores dão conta que uma filha dela era companheira de um dos líderes do  tráfico na região, morto na última semana, na cidade São Félix", afirmou o delegado. 
"Os bandidos estavam em busca do filho dela (Francisca) desde a noite anterior. Foram na casa dele, deram até chutes na porta. O filho fechou a porta com pregos para se proteger. Na noite seguinte (ontem), foi na casa da mãe dele. Como não acharam quem estavam procurando, mataram a senhora de vingança", explicou Coutinho. 
A SSP informou que um revólver Taurus, com numeração raspada, utilizado no homicídio e uma pistola, niquelada (número QC58400), com carregador, além de munições e cartuchos foram apreendidos pela polícia.
Equipes da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/ Santo Antônio de Jesus) estão a caminho do município para acompanhar as investigações do caso.
'Era uma pessoa tranquila'
O comerciante Laércio Santos, dono do bar que fica embaixo do sobrado, disse que ouviu os tiros, esperou parar e trancou o comércio. "Só vi uma moto jogada na frente", ressalta. Ele destaca que Francisca era uma pessoa tranquila e morava no sobrado com os filhos. 
                  
Corpo de idosa está sendo velado na casa de um dos filhos 
Familiares de Francisca ouvidos pelo CORREIO afirmam que ela vendia feijão e churrasquinho, mas já trabalhou também em uma
fábrica de fumo.
"Matam minha linda. A única resposta é a violência. Minha família fez o quê? Nada? E agora? Quem vai fazer o feijão?", lamentou a filha da idosa, que não quis se identificar. 
O corpo está sendo velado na casa de um dos filhos de Francisca. O enterro será às 16h no Cemitério Municipal de Cachoeira. 
Correios

tags

0 comentários:

Postar um comentário