sábado, 4 de novembro de 2017

Carona no WhatsApp: jovem foi amarrada em corda e arrastada, diz suspeito à polícia


Carona no WhatsApp: jovem foi amarrada em corda e arrastada, diz suspeito à polícia

Um dos suspeitos de ter matado a estudante Kelly Cristina Cadamuro, 22 anos, contou à polícia que ela teve os braços amarrados por uma corda e foi arrastada. Jonathan Pereira do Prado, 33 anos, confessou que marcou a carona com a jovem pelo WhatsApp já com a intenção de roubar e matar a vítima. O suspeito deve prestar depoimento mais uma vez na próxima semana. O inquérito sobre o caso tem até 30 dias para ser concluído.
Segundo o delegado regional, o suspeito relatou ter amarrado a vítima após desacordá-la e, apesar do corpo de Kelly ter sido encontrado seminu, afirmou não ter cometido abuso sexual. A calça que a jovem do interior de São Paulo  vestia no dia em que desapareceu estava a 3 Km de onde o corpo foi encontrado. 
A radiologista tinha como destino Itapagipe, em Minas Gerais, para encontrar com o namorado, que chegou a enviar mensagem para a jovem alertando que ela tivesse cuidado. 
Após a viagem ter sido marcada com um casal pelo grupo do aplicativo, apenas o homem compareceu.
Metro1


tags

0 comentários:

Postar um comentário