quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Mulher é morta com tiros na cabeça em Simões Filho


Após 37 dias sem assassinatos na zona urbana da cidade, um homicídio foi registrado no último dia do mês de novembro em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Uma mulher foi morta com tiro na cabeça na Rua A, no Bairro Simões Filho 1, por volta das 6h desta quinta-feira (30/11). O corpo da vítima foi encontrado por moradores da região nas proximidades de uma linha férrea.
De acordo com informações da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Simões Filho), a vítima, que aparenta ter 30 anos de idade, estava trajando um vestido rosa e portava uma bolsa marrom. Ao lado do corpo fora deixado um capacete, supostamente usado pela mulher.
Ainda de acordo com a PM, testemunhas contaram que ouviram os disparos e, ao chegar ao local, encontraram a mulher caída. Ela foi atingida por tiros na cabeça, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar o socorro.
                  
Policiais da 22ª Companhia Independente de Policia Militar estão no local aguardando a chegada dos peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) e dos policiais do (SI) Setor do Investigação da Policia Civil, que vão investigar o caso.
O corpo da mulher, que não possuía nenhum documento de identificação, será encaminhado ao Instituto Médico Legal de Salvador (IML). Ainda não há informações sobre a autoria e a motivação do crime, que possivelmente será investigado por agentes da 22ª  Delegacia Territorial (DT/Simões Filho).
PRIMEIRO HOMICÍDIO
Em Simões Filho, este é o primeiro homicídio registrado no mês de novembro, que já é considerado um dos mais tranquilos com relação as ocorrências de assassinatos. No mesmo período do ano passado, 14 pessoas foram mortas no município.
De acordo com o comandante da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), major Fabio Dias, medidas enérgicas adotadas pela polícia por meio do Plano de Comando contribuíram para a redução no número de crimes violentos. Há 10 meses no comando do Município, Fabio Dias revelou ter feito um estudo da mancha criminal, que é o mapeamento dos locais com maior incidência de delitos, o que possibilitou a criação de estrategias. “Nos estudamos os principais tipos de modalidade criminosa. Mapeamos os horários e os dias da semana em que os criminosos atuam e a partir daí estabelecemos as estrategias de policiamento ostensivo. É uma luta diária. Vamos em frente”, afirmou Dias.
Vale ressaltar que no mês de novembro, quatro corpos foram encontrados fora da zona urbana, em locais considerados como pontos de desova, sendo, três corpos carbonizados no Centro Industrial de Aratu e um na BA-093.
Aratu Online

tags

0 comentários:

Postar um comentário