quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Mulher que matou garota "sem querer" de Boquira-BA em São Paulo, tem prisão decretada pela Justiça.



Polícia Civil pediu à Justiça a prisão preventiva de Zilma Rodrigues do Amaral, de 38 anos, apontada como autora do disparo que matou a universitária Andressa Silva Gouveia, de 22 anos, natural de Boquira, no sudoeste da Bahia. O crime ocorreu em Mongaguá, no litoral de São Paulo. O alvo era o marido da própria atiradora, que está desaparecida desde a noite do crime. 
                    
O homicídio ocorreu no sábado (28), enquanto sete amigos de Diadema (SP) estavam reunidos em uma casa no bairro Balneário Vila Seabra. Eles combinaram de passar o fim de semana no litoral. Durante uma discussão com o marido, a mulher sacou uma arma e atirou acidentalmente na jovem, que foi atingida no peito. O pedido de prisão ocorreu na noite desta terça-feira (31), depois que o delegado titular da cidade, Ruy de Mattos, afirmou ter a certeza de que ela é autora do crime.
A suspeita também não se apresentou voluntariamente, o que agravou a situação. Ao menos 10 testemunhas foram ouvidas e confirmaram a versão de que Zilma sacou a arma e atirou uma única vez.
O delegado espera que a Justiça acate o pedido ainda nesta quarta-feira (1). “A partir daí, ela fica foragida e podemos realizar diligências para encontrá-la”, afirmou Mattos. Equipes da polícia em Diadema ajudam nos trabalhos realizados pelos investigadores do litoral paulista desde o fim de semana.
Universitária
“Ela foi passar o fim de semana com os amigos e uma briga de casal, com um único tiro, matou minha única filha. Ela era uma menina do bem, todo mundo gostava dela”, lamentou a mãe da vítima, Ana Maria Silva. Andressa estudava Pedagogia, estava no último ano da faculdade e fazia estágio na área. A madrinha da universitária, Soraya Timoteo de Andrade, quer que o casal que ocasionou a morte da jovem se apresente. “A Andressa era uma menina muito estudiosa. Era como se fosse uma princesa. E de repente a gente perde ela. Eu peço que essa pessoa [que a matou] se entregue e pague pelo que fez”. Sara dos Santos, amiga de Andressa, contou que por pouco a atiradora não acertou os próprios filhos. “A Andressa, por cursar pedagogia, estava perto das crianças na piscina. Poderia ter sido um deles. Ela tinha ido com uma amiga para lá e conheceu esse casal na casa. É horrível tudo isso”, disse. G1-Santos e Região

tags

0 comentários:

Postar um comentário