quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Polícia do RS localiza casa com rota de fuga de traficante preso em Porto Velho



A Polícia Civil do Rio Grande do Sul localizou uma residência de luxo que pertenceria ao traficante Leonardo Ramos de Souza, conhecido como Peixe, de 36 anos. A casa, localizada no morro da Embratel, no bairro Glória, em Porto Alegre, tem portões blindados com chapas de aço, câmeras de monitoramento, cerca elétrica, piscina e suíte de luxo. O detento está no presídio federal de Porto Velho/RO. 
O que mais chamou a atenção dos agentes policiais no interior da casa do traficante, porém, foi a engenharia desenvolvida pelos criminosos em caso de uma ação policial.
"No gramado sintético do jardim havia um alçapão que dava acesso subterrâneo direto a vila, facilitando assim a fuga", declarou o delegado Juliano Ferreira, titular da 19ª Delegacia da Polícia Civil de Porto Alegre.
A casa foi localizada durante uma operação da polícia, realizada nesta terça-feira (28), que buscou desmantelar uma quadrilha de criminosos comandada por Peixe.
Ainda segundo o delegado, Peixe também tinha um albergue em fase de construção para abrigar os comparsas recém-saídos da prisão. O prédio, de dois andares, fica localizado no mesmo bairro.
O traficante faz parte dos 27 detentos do Rio Grande do Sul que foram transferidos em agosto deste ano para presídios federais. O UOL Não conseguiu contato com a defesa de Peixe.
Mesmo de dentro da cadeia, no município de Porto Velho, há mais de 3.500 km da capital gaúcha, Peixe passava os comandos para sua companheira, que está foragida e tinha a função de levar as informações sobre o tráfico atéPorto Alegre, segundo a polícia.
"A esposa dele ia, em média, de 15 em 15 dias visitar ele lá no presídio em Porto Velho. A partir da transferência dele [Peixe] para o outro Estado, começamos a monitorar as visitas feitas por ela", afirmou o delegado Ferreira.
Na ação desta terça-feira, intitulada "Torre de Babel", 37 pessoas foram presas durante o cumprimento de 105 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão e prisões nas cidades de Porto Alegre e Viamão, na região metropolitana.
As investigações iniciaram em setembro do ano passado e ainda prosseguem. Oito pessoas continuam foragidas, entre elas, a companheira de Peixe.

Fonte: UOL

tags

0 comentários:

Postar um comentário