quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Prefeita baiana alvo da PF brincou sobre propina: ‘Um bilhão, eu fico’



A Polícia Federal (PF) realiza, na manhã desta terça-feira, a Operação Fraternos, que investiga contratos fraudados em três prefeituras da Bahia. Somados, esses contratos chegam a cerca de 200 milhões de reais. A operação envolve a condução coercitiva e a busca e apreensão na casa da prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, e dos prefeitos de Eunápolis, Robério Oliveira, e de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos, todos do PSD.
Os três são parentes entre si: Agnelo é irmão de Cláudia, casada com Robério. A prefeita de Porto Seguro ficou conhecida em 2012, quando ainda era deputada estadual e concorria ao cargo. Andando por uma mata, Cláudia Oliveira brinca com a possibilidade de construir uma ponte na cidade, dizendo que “serão investidos 2 bilhões. Um bilhão, eu fico”. À época, a divulgação do vídeo pelo jornal O Globo e reproduzido em programas de televisão, como o extinto CQC (Band), não impediu que ela fosse eleita, com cerca de 37% dos votos, e reeleita em 2016. A gravação está disponível na internet.
Segundo a PF, as investigações identificaram uma “verdadeira ciranda da propina”, que consistiria na vitória fraudulenta de empresas dos parentes dos três em licitações, revezando-se “para camuflar o esquema”. “Em muitos casos, chegavam ao extremo de repassar a totalidade do valor contratado na mesma data do recebimento a outras empresas da família”, escreve a nota.

F: Veja

tags

0 comentários:

Postar um comentário