terça-feira, 21 de novembro de 2017

Servidor morto em Cajazeiras conhecia os assassinos, dizem amigos da vítima



Rodrigo Bastos Santos e Uilian Rocha Souza, os dois presos pela morte de Antônio César Bastos e Silva, de 49 anos, conheciam a vítima. A informação foi dada por amigos do servidor público na apresentação dos suspeitos, durante a manhã desta terça-feira (21/11), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
“Cresceram no mesmo bairro. Antônio era amigo dos pais deles. Brutalidade sem tamanho”, disse um dos homens que preferiu não se identificar. Participaram também da coletiva o comandante da 50ª Companhia Independente da PM (CIPM/Sete de Abril) e o coordenador da Região Integrada de Segurança Central, Guilherme Machado.
O crime aconteceu na tarde de segunda-feira (20/11) no bairro de Cajazeiras, em Salvador. A PM apurou inicialmente que a vítima era agiota e o homicídio ocorreu por conta da cobrança de um dinheiro que havia sido emprestado a um dos criminosos. A Polícia Civil, porém, diz que ainda está investigando a motivação do caso.
Depois de atingirem a cabeça da vítima com marteladas, a dupla deixou o corpo de Antônio na localidade conhecida como “Pista Nova”. Depois, eles seguiram para Canabrava para lavar o veículo utilizado na ação. “Recebemos a mensagem de uma dupla estranha, no lava jato, e deslocamos equipes para averiguar. Chegando no local eles inventaram uma história de que teriam dado socorro a um ciclista, mas entraram em contradições”, contou o major.
Antônio trabalhava como agente de enfrentamento à violência contra a criança e o adolescente e seu corpo será enterrado na manhã desta quarta-feira (21/11). As prisões preventiva de Rodrigo e Uillian foram solicitadas à Justiça. Eles devem passar por audiência de custódia e, caso permaneçam presos, serão levados para o presídio.
Mídia Recôncavo

tags

0 comentários:

Postar um comentário