quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Sócios do Vitória se reúnem e podem destituir presidente do clube neste sábado


Sócios do Vitória se reúnem e podem destituir presidente do clube neste sábado

Os últimos meses do ano reservam grandes emoções para a torcida do Vitória. Lutando para ficar na Série A, o clube se prepara para decidir os rumos de sua administração com uma nova eleição para a presidência. Eleito para comandar o Vitória até 2019, o presidente Ivã de Almeida se licenciou do cargo após sete meses, expondo o rubro-negro a uma crise sem precedentes.
Capitaneada por Sinval Vieira, toda a diretoria de futebol acabou demitida. Nem mesmo o ídolo Petkovic conseguiu organizar o setor e saiu do clube depois de ser gerente, diretor e técnico. Com cinco treinadores no ano, 25 jogadores contratados e apenas o título estadual conquistado, o rubro-negro pode terminar o ano de um jeito completamente diferente do que começou. 
Nesta quinta (23), a oposição do clube se reúne para traçar as diretrizes da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que será realizada no sábado (25) e vai analisar a denúncia de gestão temerária contra Ivã, acusado de extrapolar o orçamento do clube. Com o iminente impeachment, grupos já se movimentam para o período de campanha. Antigos inimigos projetam alianças e figuras conhecidas querem voltar ao cenário.
"Me senti só", diz presidente em exercício 
Depois de assumir o clube com a licença de Ivã, Agenor Gordilho prega a união para evitar o rebaixamento. Em entrevista nesta semana à Metrópole, o presidente em exercício disse ter se sentido abandonado. “Assumi um time desmotivado e sem ânimo. Contratei uma comissão técnica nova. Trouxe [o técnico Vágner] Mancini, promovi o preparador físico e fiz uma mudança geral no clube. Não briguei com ninguém, mas me deixaram sozinho. Me senti só”, declarou. 
Questionado sobre uma eventual candidatura, Agenor negou a possibilidade de seguir no Vitória. “Não é vontade minha eu ser presidente, seja na [Série] A ou na B”, disse.
Comendo pelas beiradas 
Afastado dos antigos grupos políticos do clube, o ex-diretor de marketing Ricardo David busca ocupar a cadeira deixada por Ivã. Em publicações nas redes sociais, o presidenciável se limita a manifestar apoio ao time na luta contra o rebaixamento. Mas, nos bastidores, David se aproxima de rubro-negros antes contrários à sua candidatura para costurar alianças e sedimentar seu nome. “Isso é natural. O conhecimento não é estático. As pessoas vão aderindo a aquilo que é mais lógico. Tenho conseguido conversar com pessoas que eram oposição e hoje estão completamente alinhadas com o que penso da administração do futebol”, falou. 
Matos prega união nas oposições 
Cotado para disputar a presidência, o ex-vice-presidente do clube Manoel Matos desconversou sobre uma eventual candidatura a depender do resultado da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) do próximo sábado (25). “Qualquer candidatura ainda é precipitada. As lideranças da oposição devem sentar, conversar e chegar a um entendimento sobre a situação do Vitória, para estarem preparadas para o pleito. Na hora da eleição, vamos escolher um candidato que agregue o valor da união e da experiência”, disse o ex-dirigente rubro-negro.

tags

0 comentários:

Postar um comentário