domingo, 26 de novembro de 2017

Vitória vence e rebaixa a Ponte em jogo marcado por violência



Torcida alvinegra invadiu o campo nos minutos finais e protagonizou cenas lamentáveis.
O clima que era de decisão entre Vitória e Ponte Preta, se transformou em guerra, na tarde deste domingo (26), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Quando o Leão vencia a partida de virada por 3x2, parte da torcida do time alvinegro invadiu o campo aos 37 minutos do segundo tempo e protagonizou cenas lamentáveis. 
A polícia precisou intervir e entrou em confronto com a torcida. Os jogadores de Vitória e Ponte desceram para os vestiários correndo e o árbitro Ricardo Marques encerrou a partida antes do final do tempo regulamentar. Como o duelo já havia passado dos 30 minutos do segundo tempo, o triunfo do Leão foi mantido.
O resultado decretou o rebaixamento do clube paulista para a segunda divisão. Já o Vitória chegou aos 43 pontos e deixou a zona de rabaixamento. No próximo domingo (3), o Leão encara o Flamengo, no Barradão, pela última rodada do Brasileirão. A equipe de Vagner Mancini depende apenas das próprias forças para permanecer na elite. 
O jogo
Depois de todo o mistério sobre a escalação, Mancini preparou uma surpresa. Sem jogar há quatro meses por conta de uma lesão no joelho, Willian Farias apareceu na relação dos titulares. Os planos do treinador, no entanto, foram frustrados quando o volante sentiu ainda no aquecimento e precisou ser substituído por Ramon.
Com a bola rolando, quem começou tomando as iniciativas foi a Ponte Preta. Empurrado pelos gritos da torcida, o alvinegro não demorou para abrir o placar. Com apenas seis minutos, o atacante Lucca aproveitou corte de Wallace, matou no peito e chutou forte. A bola ainda desviou em Geferson antes de morrer no fundo das redes de Fernando Miguel.
Como tudo que está ruim pode piorar, a situação do Leão se complicou de vez quando Wallace puxou Léo Arthur dentro da área. O árbitro foi informado da infração pelo auxiliar e marcou pênalti. Danilo Barcelos bateu e ampliou o placar aos 15 minutos.
O placar adverso deixou o Vitória nervoso. Após confusão com Jeferson, Yago recebeu o amarelo. O panorama só ficou um pouco melhor quando o zagueiro Rodrigo deu uma "dedada" em Tréllez e foi expulso, deixando o Leão em vantagem numérica.
Com um homem a mais, o Vitória passou a criar mais chances. Aos 45 minutos Carlos Eduardo chutou forte, Aranha deu o rebote e a bola sobrou livre para David, que de frente para o goleiro chutou fraco e desperdiçou a melhor chance do Leão na primeira etapa.
Reação e clima de guerra
No segundo tempo, o Vitória voltou com o mesmo time, mas com postura mais ofensiva. Yago quase diminuiu aos seis minutos, porém mandou para fora na saída de Aranha. De tanto insistir, o Leão chegou ao gol. Na cobrança de escanteio, Danilinho desviou e André Lima mandou de cabeça para o gol, aos 12 minutos. 
O gol recolocou o Vitória no jogo e um minuto depois o rubro-negro conseguiu o empate. Tréllez chutou de fora da área, a bola desviou em Luan Peres e encobriu o goleiro Aranha. Depois do segundo tento, o que se viu foi um bombardeio do rubro-negro. Do outro lado, a Ponte tentava se segurar de todos os jeitos. 
A defesa alvinegra só não conseguiu parar o rápido contra-ataque puxado por Danilinho, que cencontrou Tréllez dentro da área. O colombiano só teve o trabalho de tocar na saída de Aranha e decretar a virada rubro-negra em Campinas.  
Após  o gol, a torcida da Ponte Preta invadiu o campo com pedras e o jogo foi interrompido. Jogadores da Ponte Preta chegaram a se abrigar nos vestiários do Vitória temendo possíveis agressões. Por fim, prevaleceu o futebol e o triunfo rubro-negro.
Correios

tags

0 comentários:

Postar um comentário