domingo, 7 de janeiro de 2018

Acompanhante de grávida finge ser deficiente e rouba pacientes em maternidade


Acompanhante de grávida finge ser deficiente e rouba pacientes em maternidade

Onze celulares de pacientes da maternidade Tsylla Balbino, na Baixa de Quintas, em Salvador, foram furtados na madrugada deste sábado (6). O crime foi cometido por homem de identidade ainda não revelada, que teve acesso à unidade acompanhando uma grávida internada na tarde do dia anterior. A Polícia Civil informou que nenhuma queixa em relação ao crime foi registrada até a tarde deste sábado.
De acordo com testemunhas, o homem chegou na tarde de sexta (6) acompanhando uma mulher que seria internada na maternidade. Ele circulou pelos cômodos, conversou com pessoas e até mesmo tomou o café destinado aos acompanhantes.
Um segurança que também não quis se identificar, explicou que à noite apenas dois profissionais se revezam entre a guarita de entrada e a parte interna da maternidade, porém, nenhum dos dois plantonistas foi acionado.
Por volta da meia noite, o homem circulou mais uma vez pelos corredores e começou a entrar nos cômodos onde as pessoas já estavam dormindo. “Ele se aproveitou do horário que as pessoas estavam dormindo, pois o pessoal deixa o telefone carregando na tomada. Ele entrava, pegava o celular e partia para o próximo quarto. Minha irmã só escapou porque deixou o celular ao lado dela, na cama”, relatou o irmão de uma das pacientes.
Os acompanhantes das mulheres internadas suspeitam que depois de coletar os aparelhos, o homem teria utilizado uma sacola ou mochila para jogar os celulares para a parte externa do prédio e conseguir sair da maternidade sem levantar suspeitas. O ladrão passou pelos portões de entrada tranquilamente. Já as vítimas só notaram o furto no início da manhã.
Ele explicou que o hospital disponibilizará as imagens do circuito de videomonitoramento e o registro de entrada assinado pelo bandido. A grávida que estava acompanhada pelo ladrão segue internada na maternidade.
Investigação
A Polícia Civil informou que até a tarde deste sábado as vítimas ainda não tinham registrado queixas, mas que na segunda-feira (8) o delegado deverá solicitar as imagens das câmeras da maternidade e o registro de acesso para iniciar as investigações, que ficarão sob responsabilidade da 2ª Delegacia.
A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) afirmou que vai cooperar com a apuração da Polícia Civil disponibilizando as imagens do circuito interno.
Fonte: Correio 24h 

tags

0 comentários:

Postar um comentário