domingo, 7 de janeiro de 2018

Banhistas curtem o sol em praias impróprias para banho


Banhistas curtem o sol em praias impróprias para banho

No verão vale tudo para se refrescar e ficar com aquela marquinha. Vale até - para os banhistas mais desavisados - um mergulho em uma praia considerada imprópria para o banho. Foi o que fizeram os banhistas que se arriscaram a curtir um sol em uma das 13 praias de Salvador consideradas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) impróprias para banho neste final de semana.
Tudo em nome do bronze e da diversão da garotada. As donas de casa e vizinhas, Karine dos Santos, 24 anos e Cristina Balayão, 45, trouxeram os filhos e sobrinhos - além de muito brozeador, é claro - para a praia do Morro da Sereia em frente ao Ed. Maria José, em Ondina.
Mal sabiam que ali, e em outras praias apontadas como impróprias pelo instituto, a densidade de bactérias que causam infecções urinária e intestinal é elevada. Agora, já cientes, como explicar para as crianças que é era de voltar para casa?
"Eu não sabia. Agora já era. Já estão todos se divertindo. Difícil vai ser tirar todo mundo dali", brinca Karine. As donas de casa não costumam consultar quais as praias estão boas para o mergulho. O critério para a escolha é sempre o mesmo: "Tem que ter água calma e ser próximo de casa", completa Cristina. As duas vieram do bairro da Federação, assim como a maioria dos banhistas que por lá chegam.
De marquinha
As amigas Denise Cerqueira, 50, e Valdenice Ramos, 47, também foram atraídas, assim com as donas de casa, pelas águas calmas de Ondina - a concentração de pedras próximo às escadarias que dá acesso à praia formam piscinas naturais.
Valdenice até viu no noticiário que o mar não estava para banho, mas não se importou, já que evitou o mergulho. Denise, por sua vez, não só passou horas embaixo de sol escaldante como confessou: no final do dia não vai resistir ao mergulho. "Nenhuma [praia] presta mesmo", brincou ela. O importante mesmo é voltar para casa com a cor do verão.
Análise
As amostras de água para análises da balneabilidade das praias, de acordo com o órgão, são coletadas semanalmente, no período da manhã, em locais com maior concentração de banhista. A condição da balneabilidade nos pontos monitorados é avaliada continuamente durante todo o ano, analisando a densidade de bactérias em um conjunto de amostras obtidas em cinco semanas consecutivas.
Geralmente, uma praia é considerada imprópria para banho se o valor obtido na última amostragem for superior a 2000 Escherichia col ou quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas apresentar resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli por 100 mL de água.
Evite
Salvador: Periperi, Penha, Bonfim, Roma, Marina Contorno, Santa Maria, Ondina (próximo a escada de acesso à praia, em frente ao posto BR e Hotel Bahia Sol), Ondina (próximo ao Morro da Sereia em frente ao Ed. Maria José), Pituba (em frente a escada de acesso à praia, em frente a Portinox, na Rua Paraíba), Armação, Boca do Rio (em frente ao posto Salva Vidas), Patamares e Itapuã (em frente à Sereia de Itapuã)
Baía de Todos os Santos: Madre de Deus (sob a ponte em Madre de Deus), Cabuçu, Cacha Prego, Mar Grande e Gameleira
Costa dos Coqueiros: Buraquinho e Jauá
Costa do Cacau: Marciano, Malhado, Sul e Opaba
Costa da Baleia: Prado 
Fonte: Correio 24h

tags

0 comentários:

Postar um comentário