segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Com 61% de pacientes do interior, Hospital da Mulher completa um ano



O Hospital da Mulher (HM), no bairro de Roma, em Salvador, completa um ano de funcionamento nesta terça-feira (9), com números expressivos no atendimento. Mais de 73 mil consultas, 7 mil cirurgias, 190 mil exames e captação de sete córneas para transplantes foram realizados. Mulheres de 401 do total de 417 municípios do estado já passaram pela unidade hospitalar, o que representa 61% das pacientes. Além da abrangência interestadual, o HM tem se destacado também na prevenção, diagnóstico e tratamento de câncer de mama e ginecológico. 
De acordo com o diretor-geral do HM, Marco Antônio Andrade, a meta para o segundo ano é aperfeiçoar os procedimentos e as práticas hospitalares. “Para nós, é muito gratificante chegar ao fim do primeiro ano com números bastante significativos. Em 2018, nós estamos com uma agenda muito proativa”, afirma. 
Andrade explica que “para consolidar ainda mais o hospital como uma referência estadual e no Norte-Nordeste, além da parceria com o Hospital de Barretos desenvolvida pelo Governo do Estado, com quem estamos fazendo um intercâmbio de profissionais em áreas específicas, a gente pretende formalizar a qualidade do hospital em padrões também internacionais”.  
A costureira Lúcia Maria da Cruz, 51 anos, se recupera da cirurgia de retirada da mama esquerda. A paciente descobriu o nódulo a partir do autoexame e procurou um centro de saúde do bairro da Liberdade para investigar. Lá, foi encaminhada para o Hospital da Mulher, onde fará todas as etapas do tratamento. 
“Eu achei o atendimento muito bom e rápido. A gente não consegue esse atendimento em qualquer lugar. Minha expectativa é que eu seja curada. A médica me tranquilizou, disse que eu posso fazer todo o tratamento aqui. Se eu quiser fazer a reconstrução da mama, aqui também faz”, declara a costureira.
Encaminhamento 
Todo o atendimento do HM é feito via encaminhamento por unidades básicas, e de pronto-atendimento. A dona de casa Joseane Batista vem de Entre Rios, no nordeste do estado, para realizar exames e tratar miomas uterinos. “Estou sendo bem atendida. A gente pede informação e as pessoas informam direitinho. Não tenho do que reclamar”, conta a paciente, que está na expectativa de fazer a cirurgia. 
O hospital já é considerado referência no diagnóstico e tratamento do câncer feminino. “Predominantemente, nossa população é para diagnóstico e tratamento de câncer de mama, mas nós fazemos também o tratamento de pacientes com doenças benignas das mamas. Somos a referência para os 417 municípios do estado. Nós oferecemos a reconstrução imediata, incluindo todos os materiais. É o único serviço no Brasil”, destaca o diretor de Residência Médica e coordenador do Serviço de Alta Resolução para Tratamento e Diagnóstico do Câncer de Mama, André Dias.  
Residência médica 
Em 2018, o HM oferecerá Residência Médica em Mastologia. “Esses residentes passarão dois anos conosco, em uma imersão de 60 horas por semana. Hoje nós já atendemos um fluxo alto. Somente o Departamento de Mastologia atendeu mais de 15 mil mulheres e realizou mais de 1,5 mil procedimentos cirúrgicos. O serviço de residência vai aumentar esse número de atendimento à medida que temos mais profissionais que precisam estar em contato com os pacientes e as patologias, bem como aprimorar os processos”, completa André. 
Para alcançar ainda mais mulheres em todo o estado, o HM agora dispõe de uma unidade móvel que realiza 70 mamografias e 170 exames preventivos por dia. Mulheres que sofreram violência sexual encontram atendimento especializado, através de uma equipe multidisciplinar, e mulheres transgêneros também são acolhidas.
Catu Noticias

tags

0 comentários:

Postar um comentário