sexta-feira, março 29, 2024

Mãe de seis morre após ser baleada na cabeça em ação policial em Santos

Uma mulher morreu após levar um tiro na cabeça na noite de quarta-feira (27), em Santos, durante uma ação policial. Edneia Fernandes, 31, chegou a ser socorrida por pessoas que estavam na praça e ficou um dia internada, mas não resistiu.
Com a morte dela, a Operação Verão no litoral paulista chega a 55 mortos.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública) do governo Tarcísio de Freitas (Republicanos), policiais militares patrulhavam a região da Praça José Lamacchia, em Santos, quando viram dois homens em uma moto e deram ordem de parada.
Os homens teriam desobedecido a ordem de parada e, ainda, teriam disparado cinco vezes contra os policiais, que revidaram. "Uma mulher, de 31 anos, foi atingida e socorrida por populares à UPA Zona Noroeste e, posteriormente, transferida para Santa Casa, mas não resistiu."
Os suspeitos teriam fugido, e a motocicleta foi apreendida. Segundo a SSP, o caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária de Santos. O 5º Distrito Policial de Santos investiga o caso, e também foi aberto um inquérito policial militar pela PM paulista.

Parentes se mobilizaram em uma corrente de oração durante o dia em que Edneia ficou internada. À TV Globo, testemunhas contestaram a versão divulgada pela secretaria, e afirmaram que houve apenas um disparo feito quando três motos da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) passaram pelo local.

Com a morte de Edneia, que deixa seis filhos, a Operação Verão chega a 55 mortos.
Na tarde de quarta-feira (27), um homem foi morto por agentes do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia).

Bnews
Bnews
Busca

Polícia
Mãe de seis morre após ser baleada na cabeça em ação policial em Santos
Reprodução/Redes Sociais
Mulher chegou a ser socorrida após ser baleada, mas não resistiu | Bnews - Divulgação Reprodução/Redes Sociais
Publicado em 29/03/2024, às 16h27 Folhapress

COMPARTILHE:

FacebookTwitterWhatsApp
Uma mulher morreu após levar um tiro na cabeça na noite de quarta-feira (27), em Santos, durante uma ação policial. Edneia Fernandes, 31, chegou a ser socorrida por pessoas que estavam na praça e ficou um dia internada, mas não resistiu.
Com a morte dela, a Operação Verão no litoral paulista chega a 55 mortos.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública) do governo Tarcísio de Freitas (Republicanos), policiais militares patrulhavam a região da Praça José Lamacchia, em Santos, quando viram dois homens em uma moto e deram ordem de parada.

Foto de 🇨🇿 Jakub Brabec na Unsplash
REDUÇÃO
Caiu! Agro registra queda no PIB em 2023, diz CNA; Confira a redução

Ricardo Stuckert / PR
CONFIRA
Nova profissão? Lula surge fazendo 'freela' em evento com Macron

Os homens teriam desobedecido a ordem de parada e, ainda, teriam disparado cinco vezes contra os policiais, que revidaram. "Uma mulher, de 31 anos, foi atingida e socorrida por populares à UPA Zona Noroeste e, posteriormente, transferida para Santa Casa, mas não resistiu."


Os suspeitos teriam fugido, e a motocicleta foi apreendida. Segundo a SSP, o caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária de Santos. O 5º Distrito Policial de Santos investiga o caso, e também foi aberto um inquérito policial militar pela PM paulista.

Parentes se mobilizaram em uma corrente de oração durante o dia em que Edneia ficou internada. À TV Globo, testemunhas contestaram a versão divulgada pela secretaria, e afirmaram que houve apenas um disparo feito quando três motos da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) passaram pelo local.

Com a morte de Edneia, que deixa seis filhos, a Operação Verão chega a 55 mortos.
Na tarde de quarta-feira (27), um homem foi morto por agentes do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia).

overlay-clevercloseLogo
De acordo com a SSP, ele foi atingido após atirar contra policiais militares no bairro Vila Júlia, em Guarujá. Os agentes faziam uma incursão, segundo a nota, para combater o tráfico de drogas. Em um imóvel, os policiais se depararam com o suspeito, que estaria armado e teria atirado.

Eles revidaram, e o homem morreu. A arma foi recolhida e foram apreendidas porções de cocaína. O caso foi registrado como tentativa de homicídio, tráfico de drogas e morte decorrente de intervenção policial na Delegacia de Guarujá.
OPERAÇÃO MAIS LETAL DESDE O CARANDIRU
A primeira fase da Operação Verão começou em 18 de dezembro, com foco no reforço da segurança das cidades do litoral durante a alta temporada de verão. E entrou em uma nova fase após a morte do soldado da Rota Samuel Wesley Cosmo, 35, no dia 2 de fevereiro --ele foi assassinado durante patrulhamento em uma favela de palafitas na periferia de Santos.

Após o secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite, dizer não reconhecer excessos por parte da PM, a Ouvidoria da Polícia disse ter encaminhado ao governo do estado 27 queixas de abusos na operação entre janeiro e fevereiro.

Diante da violência que atinge a região, organizações de direitos humanos denunciaram na ONU as ações da PM no litoral. O governador chegou a dizer "não estar nem aí" para as possíveis denúncias de violações apresentadas para o colegiado internacional.
Bnews 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÓS-JOGO: Torcedor do Vitória é agredido próximo ao Barradão por torcedores do Palmeiras; saiba o que aconteceu

A Polícia Civil investiga a agressão sofrida por um torcedor do Vitória, identificado como Vanderley Leal de Jesus, espancado po...