terça-feira, março 05, 2024

Motivação da chacina de ciganos é revelada

A delegada-geral da Polícia Civil da Bahia revelou a motivação da chacina de ciganos, ocorrida em Jequié, em 5 de outubro de 2023.

Nesta terça-feira (5), exatamente cinco meses após o crime, foi deflagrada a Operação Hera, que resultou em três suspeitos presos.
O que diz a delegada-geral sobre a motivação da chacina
Conforme Heloisa Campos de Brito, a motivação da chacina teria sido uma vingança, após a apreensão de um gado, comprado de forma ilícita e que gerou prejuízo para o mandante, no ano de 2016.
“Esse possível mandante teria tido um gado comprado de modo ilícito, que foi apreendido, e ele atribui a perda desse gado e a investigação policial que ele sofreu naquela época a esses membros dessa família cigana”, afirmou a delegada.

O mandante e a vítima tinham ligação, “Todos pertencem à comunidades ciganas que ficam em Inhambupe e Alagoinhas”, revelou ela.
Presos estão envolvidos em outros crimes
Os três presos também estão envolvidos na morte de mais cinco pessoas, quatro delas ciganos em Feira de Santana, assassinados em agosto de 2023. No total, a pistola 9mm, encontrada enterrada na zona rural, foi usada 11 vezes. O mandante está com mandado de prisão em aberto e deve ser preso a qualquer momento. Durante o curso da investigação, cinco armas foram apreendidas.

Os mandados foram cumpridos nas cidades de Jequié, Feira de Santana, Alagoinhas, Camaçari e Maetinga.

A Operação Hera foi coordenada pelo Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), e Coordenação de Operações e Recursos Especiais, com apoio do Cati/Sede-Depin, Norte, Central e Sudoeste e Corregedoria da Polícia Militar da Bahia, no total, foram empregados cinquenta policiais.
Menu
O portal de notícias da Bahia
Procurar por
Mídia Bahia

BahiaSudoeste
Motivação da chacina de ciganos é revelada
Mandante do crime está com mandado de prisão em aberto.
5 de março de 2024
Operação que prendeu suspeitos de chacina em jequié Suspeitos foram presos na Operação Hera — Reprodução
Sumário
O que diz a delegada-geral sobre a motivação da chacina
Presos estão envolvidos em outros crimes
Quem são as vítimas?
A delegada-geral da Polícia Civil da Bahia revelou a motivação da chacina de ciganos, ocorrida em Jequié, em 5 de outubro de 2023.

Nesta terça-feira (5), exatamente cinco meses após o crime, foi deflagrada a Operação Hera, que resultou em três suspeitos presos.


O que diz a delegada-geral sobre a motivação da chacina
Conforme Heloisa Campos de Brito, a motivação da chacina teria sido uma vingança, após a apreensão de um gado, comprado de forma ilícita e que gerou prejuízo para o mandante, no ano de 2016.

Artigos relacionados
Policiais da Operação Hera cumprindo mandados contra suspeitos da morte de ciganos
Suspeitos de chacina de ciganos em Jequié são presos
5 de março de 2024Imagem do WhatsApp de 2024 03 04 as 11.46.39 811c7080
Bombeiros são acionados para resgatar ‘corpo’ de rio e homem acorda após ser retirado da água; veja momento
4 de março de 2024
“Esse possível mandante teria tido um gado comprado de modo ilícito, que foi apreendido, e ele atribui a perda desse gado e a investigação policial que ele sofreu naquela época a esses membros dessa família cigana”, afirmou a delegada.

O mandante e a vítima tinham ligação, “Todos pertencem à comunidades ciganas que ficam em Inhambupe e Alagoinhas”, revelou ela.

Presos estão envolvidos em outros crimes
Os três presos também estão envolvidos na morte de mais cinco pessoas, quatro delas ciganos em Feira de Santana, assassinados em agosto de 2023. No total, a pistola 9mm, encontrada enterrada na zona rural, foi usada 11 vezes. O mandante está com mandado de prisão em aberto e deve ser preso a qualquer momento. Durante o curso da investigação, cinco armas foram apreendidas.

Os mandados foram cumpridos nas cidades de Jequié, Feira de Santana, Alagoinhas, Camaçari e Maetinga.

A Operação Hera foi coordenada pelo Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), e Coordenação de Operações e Recursos Especiais, com apoio do Cati/Sede-Depin, Norte, Central e Sudoeste e Corregedoria da Polícia Militar da Bahia, no total, foram empregados cinquenta policiais.

Cinco armas foram apreendidas, motivação da chacina foi revelada
Cinco armas foram apreendidas durante investigação. 
Quem são as vítimas?
As vítimas foram
identificadas por Suilan Cabral Barreto, 35, Maiane Cabral Gomes, 45, Elismar Cabral Barreto, 23, Natiele Andrade de Cabral, 22, que estava grávida, Lindivoval de Almeida Cabral, 66 e a criança, Laiane Andrade Barreto, a criança de 04 anos, morta com um tiro no peito, sentada numa cadeira. Suilan foi sepultada em Gandu, em janeiro de 2024, a demora para a liberação do corpo, se deu por questões documentais, o que necessitou de autorização judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TERRITÓRIO PROIBIDO: Alô Juca invade área do traficante Buel no bairro Tancredo Neves; veja com exclusividade

Após voltar do Rio de Janeiro, o repórter Marcelo Castro foi até a localidade conhecida como Buracão, no bairro Tancredo Nev...