domingo, abril 21, 2024

Homem é preso por estuprar três mulheres; ‘ele cuspia na minha boca e me enforcava com um cinto’

No Rio de Janeiro, Lucas José Dib, de 35 anos, foi detido na última quinta-feira (18) sob acusações de estupro e cárcere privado após uma mulher relatar à polícia ter sido violentada em sua residência por um período angustiante de 18 horas.

A vítima, originária de São José do Rio Preto (SP), estava de visita ao Rio quando conheceu Dib por meio de um aplicativo de namoro. Em 3 de abril, ela aceitou um convite para sair com ele. VEJA O VÍDEO DA PRISÃO DE LUCAS:
Segundo seu relato à polícia, após levá-la para alguns bares em Botafogo, na Zona Sul da cidade, Dib convidou-a para ir até seu apartamento. O que começou como um encontro aparentemente normal logo se transformou em um pesadelo para a mulher.

Depois de um beijo, o comportamento de Dib mudou drasticamente, de acordo com a vítima. Ele a teria violentado sexualmente e a ameaçado durante um longo período de tempo. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) confirmou as agressões físicas e o estupro por meio de “ação contundente”.
A mulher teve a coragem de buscar ajuda junto às autoridades policiais, resultando na prisão de Lucas José Dib. O caso destaca a importância de denunciar crimes dessa natureza e reforça a necessidade de medidas para proteger e oferecer suporte às vítimas de violência sexual. A polícia está investigando o ocorrido e conduzirá o processo legal conforme necessário para garantir justiça nesse caso grave de abuso e cárcere.





Uma vítima conta como foi estuprada no Rio de janeiro

A experiência traumática vivida pela mulher de 31 anos durante seu encontro com Lucas José Dib, no Rio de Janeiro, revela um cenário aterrorizante de cárcere privado, agressão física e abuso sexual.


Em seu relato detalhado à polícia, a vítima descreveu momentos de pavor em que foi submetida a tortura física e psicológica durante aproximadamente 20 horas dentro do apartamento de Dib. Ela foi estuprada repetidamente e forçada a adotar posições humilhantes e submissas, com Dib ameaçando sua vida e afirmando ser uma pessoa influente, que qualquer tentativa de fuga seria inútil.
Segundo seu depoimento, ela foi enforcada, acorrentada pelo pescoço com um cinto e tratada como um animal, obrigada a obedecer aos comandos de Dib sob ameaças de morte e violência contínua. Dib ainda a drogou de forma coercitiva, privando-a de sono, alimentação e dignidade.
A vítima relatou que sua única esperança de escapar foi ter compartilhado sua localização com amigos antes do encontro, permitindo que um deles fosse até o apartamento e a resgatasse, interrompendo assim o pesadelo que vivenciava.

O relato da mulher expõe a brutalidade e a crueldade de um crime que deixou marcas profundas em sua vida. A prisão de Lucas José Dib é um passo crucial na busca por justiça e serve como alerta para a importância de medidas eficazes de proteção e prevenção contra a violência contra as mulheres.

A investigação policial continua para esclarecer todos os detalhes desse terrível episódio e garantir que o responsável seja responsabilizado conforme a lei. Este caso ressalta a necessidade urgente de combater a cultura do estupro e garantir a segurança e o respeito aos direitos das mulheres em todas as esferas da sociedade.
Padrão de Violência: Ex-namorada Revela História de Abuso e Ameaças em Belo Horizonte

Uma denúncia de violência foi feita por outra mulher em relação a Lucas José Dib, em um caso que remonta a outubro de 2020, na cidade de Belo Horizonte. Segundo o relato da ex-namorada à polícia, os eventos ocorreram durante uma discussão motivada por ciúmes, quando ela expressou o desejo de terminar o relacionamento com Dib.

A vítima descreveu momentos angustiantes em que Dib tapou sua boca e apertou seu rosto, deixando-a sem ar. Mesmo após as agressões, Dib alternava entre culpar a vítima e pedir desculpas, implorando para que ela não o deixasse. O dia seguinte amanheceu e ambos permaneceram trancados no apartamento, com a vítima ausente do trabalho, gerando preocupação entre seus colegas.
O relato da ex-namorada revela ainda mais camadas de controle e intimidação, com Dib ameaçando-a quanto ao processo judicial para regular a guarda do filho e a pensão alimentícia. Ele afirmou conhecer pessoas influentes e alegou que poderia manipular o sistema judicial a seu favor.

A vítima também mencionou que Dib a descreditava, chamando-a de “louca” por estar em tratamento para depressão, o que, segundo ele, prejudicaria sua credibilidade perante a Justiça.



Essa denúncia ressalta um padrão de comportamento abusivo por parte de Lucas José Dib e destaca a importância de abordar e investigar casos de violência doméstica de maneira séria e diligente, garantindo proteção e justiça para as vítimas.



Terceira Vítima Rompe o Silêncio: Relato Chocante de Abuso e Manipulação em Diadema

Uma terceira mulher, residente em Diadema, São Paulo, registrou um boletim de ocorrência por estupro de vulnerável contra Lucas Dib no último sábado (20), depois de saber de sua prisão no Rio de Janeiro. A vítima revelou ter sentido finalmente a segurança necessária para denunciar as agressões após a notícia da detenção de Dib.
Segundo o relato da mulher, ela manteve um relacionamento com Dib entre 2015 e 2018 e descreveu-o como sádico e psicopata. Ela detalhou episódios perturbadores em que foi forçada repetidamente e submetida a abusos brutais.

“Ele me forçou inúmeras vezes e, se eu não cooperava, era ‘castigada’. Em algumas vezes, ele me fazia beber para não oferecer resistência”, contou a vítima.

A narrativa prosseguiu com descrições angustiantes de Dib tratando-a como um objeto, exigindo submissão e humilhando-a de maneiras cruéis. Ela mencionou ser tratada como um cão, com Dib pisando em sua cabeça, a enforcando durante os atos, cuspindo em seu rosto, olhos e boca deliberadamente, e afirmando ser seu dono.

Além do abuso físico, a vítima revelou um padrão de manipulação e controle psicológico, no qual Dib a fazia sentir-se culpada por coisas injustificadas, determinava sua aparência e comportamento, ameaçava seus pais e a intimidava com vídeos e fotos comprometedoras.

O relato angustiante expõe um padrão consistente de abuso emocional e físico por parte de Lucas Dib, sublinhando a necessidade urgente de se investigar a fundo essas acusações e de se responsabilizar o agressor conforme a lei. O caso reforça a importância de dar voz às vítimas e de garantir apoio e proteção a quem sofre violência doméstica e sexual.
F. Verdinho Itabuna 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedreiro morre ao cair de estrutura de seis metros em Feira de Santana

Um homem morreu, neste sábado (18), após cair de uma altura de cerca de seis metros, enquanto realizava um serviço de pedreiro e...