sexta-feira, janeiro 26, 2024

Absolvido por homicídio do pai é preso por matar a mãe



Um homem de 23 anos foi preso em flagrante, na tarde dessa quinta-feira (25/1), suspeito assassinar a própria mãe a facadas e pauladas, em Corrente, no Piauí. O crime fez a polícia logo lembrar de outro: Victor Gabriel Nunes de Paula chegou a ser preso em 2019 por matar o pai, também esfaqueado, em Ceilândia (DF).

No primeiro crime, ocorrido quando ele tinha 18 anos, o jovem foi absolvido após apresentar laudo com diagnóstico de transtornos mentais. De acordo com o portal Metrópoles, ele ficou ao menos um ano internado por determinação judicial,

Agora, Benedita Silva Nunes, 49, foi encontrada morta dentro de casa, com marcas de facadas no rosto e sinais de espancamento.segundo a Polícia Militar do Piauí, ela teve os dentes quebrados e também levou golpes na cabeça que teriam sido provocados por uma barra de ferro.

O filho foi visto ao saindo da casa da família minutos antes da irmã dele entrar no local e encontrar a mãe de ambos morta no chão. Victor chegou a fugir, mas foi encontrado pela polícia e levado para a delegacia de Corrente.

Vizinhos da vítima relataram que mãe e filho costumavam ter brigas porque Victor Gabriel seria dependente químico, mas a Benedita tentava ajudá-lo a se livrar do vício. Uma dessas brigas teria motivado o crime, segundo as investigações.

Caso similar ao que aconteceu com o pai: o estopim para a tragédia teria sido uma discussão sobre o consumo de drogas em casa. Victor alegou que sofria várias ameaças de morte por parte do pai e confessou que o atacou, para evitar ser vítima de um eventual assassinato.

Quando os policiais militares chegaram ao endereço da família, encontraram Victor Gabriel ainda com a faca na mão e o pai deitado sobre o colo. Na data, o agressor ainda feriu outra pessoa, que havia tentado impedir o crime.

Apesar de o filho da vítima ter confessado o crime, a juíza Vivian Lins Cardoso interpretou que a liberação do assassino não causaria “perturbação à ordem pública”.

Na ata da audiência de custódia do preso, em 21 de outubro de 2019, a magistrada considerou que, por se tratar de “crime passional”, não havia elementos que indicassem “a mesma intenção homicida contra outras pessoas” caso Victor Gabriel estivesse em liberdade. “Não há o que se falar em prisão do autuado como garantia da ordem pública”, completou a juíza.

Outros fatores que pesaram para a decisão envolveram o fato de o acusado ser réu primário, “de bons antecedentes” e sem ficha criminal. Assim, para a magistrada, a medida cautelar de monitoração eletrônica seria “providência adequada e suficiente”.

Ainda segundo o Metrópoles, Victor também foi alvo de mandado de prisão preventiva em 2019, mas a Justiça do Distrito Federal concedeu habeas corpus ao acusado. No fim de 2020, com o laudo da perícia que atestou os transtornos mentais, o juiz determinou a internação do acusado.

Em maio de 2021, Victor Gabriel foi julgado pelo Tribunal do Júri, que o absolveu pelo homicídio do pai. Como medida de segurança, porém, o magistrado determinou a internação do réu pelo período de ao menos um ano.
Ib

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Família de subtenente atropelado em blitz implora por regulação; estado de saúde é gravíssimo

O subtenente da Polícia Militar (PM-BA), Antônio Paim, está internado em estado grave no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). N...