sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Sabe quem é? Conheça Erasmo Damiani, novo diretor de futebol do Vitória


Erasmo Damiani, novo diretor de futebol do Vitória (Foto: Igor Rodrigues/GloboEsporte.com)

Antes mesmo de ser confirmado presidente do Vitória na primeira eleição democrática da história do clube, Ricardo David já havia revelado o seu diretor de futebol. O novo homem forte do futebol rubro-negro é Erasmo Damiani, profissional com larga experiência nas categorias de base e com passagens por clubes como Palmeiras, Figueirense e Atlético-PR. No currículo, títulos importantes, entre eles o inédito ouro olímpico conquistado pela Seleção Brasileira em 2016, na condição de coordenador da base da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
A primeira experiência de Damiani no esporte não foi o futebol. Na juventude, foi atleta de atletismo e chegou a competir por algumas equipes. Formado e com mestrado em Educação Física, ele iniciou sua trajetória no futebol em 2004, quando foi contratado para supervisionar as categorias de base do Figueirense. Desde então, fez um trabalho destacado. No clube catarinense, angariou conquistas importantes, dentre elas o título da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o mais importante torneio de base do país.
O bom trabalho em Santa Catarina chamou a atenção do Vasco, mas ele preferiu permanecer no Figueirense, onde assumira a gerência de futebol profissional. Deixou o clube pouco depois e foi contratado pelo Atlético-PR, a pedido do técnico Ricardo Drubscky. Após deixar o Furacão, assumiu a secretaria de esportes da prefeitura de Florianópolis e, em seguida, recebeu um convite do Palmeiras.
A base palmeirense hoje está em alta. Em 2017, o clube foi finalista do Paulistão nas cinco categorias: sub-11, sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20. Essa reestruturação começou justamente a partir da chegada de Erasmo Damiani, contratado em 2013, no início da gestão de Paulo Nobre, para assumir a coordenação das categorias de base. Os palmeirenses perderam o profissional dois anos depois para a CBF.
Na coordenação das categorias de base da Seleção, Damiani retomou a parceira com Rogério Micale, com quem já havia trabalhado no Figueirense. O sonhado título olímpico, com Neymar, Renato Augusto, Weverton e a geração sub-23, foi o ápice do trabalho da dupla. Um ano depois, ambos foram demitidos após o fracasso no Sul-Americano sub-20. Entre o ouro olímpico e a demissão, ele recebeu uma proposta para assumir a direção de futebol do Cruzeiro, mas preferiu seguir na CBF.
Ge

tags

0 comentários:

Postar um comentário