sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Sequetro! Policial e comparsa presos na Estrada do Côco minutos após família pagar resgate



Investigadores do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) prenderam, na noite de quinta-feira (21), uma dupla acusada de sequestro, na Estrada do Coco. Pablo Luiz Machado Brito e o soldado da Polícia Militar Carlos Eduardo Amâncio da Silva foram presos após receber o resgate de um extorsão que começou por volta das 11h, no município de Camaçari, e terminou às 19h30.
Segundo o delegado Cleandro Pimenta, da coordenação de Sequestro e Extorsão do Draco, a dupla, que estava armada, usando distintivos da Polícia Civil e toucas “brucutu”, abordou um grupo de seis pessoas no bairro de Jardim Limoeiro e se identificaram como investigadores do Draco. “Pablo e Carlos pediram para homens e mulheres ficarem pelados e passaram a interrogá-los. Quando a vítima disse que já tinha passagem pela polícia, foi conduzida para o veículo, um fiesta vermelho”, contou Pimenta.
Após horas circulando pelos municípios de Arembepe, Cascalheiras e Camaçari, os acusados entraram em contato com a família para pedir o resgate. Houve uma negociação e o combinado a ser pago foi uma moto, modelo Bis, dois televisores de 24 e 32 polegadas e a quantia de mil reais. Quando esse material foi entregue, a vitima foi liberada.
Ainda de acordo com o delegado, a dupla estava sendo monitorada.  Quando passavam pela Estrada do Coco, na altura de Villas do Atlântico, foram abordados. “Carlos pilotava a moto entregue como parte do resgate, e logo atrás estava Pablo, dirigindo um fusion prata onde foram encontrados os televisores e o dinheiro”, explicou Pimenta.
Com eles também foram encontrados duas armas de fogo, sendo uma registrada em nome do policial e a outra pertencente a Pablo, duas brucutus, três coletes balísticos, rádios de comunicação, seis celulares, máquina de choque e placas falsas de veículos. Ambos foram autuados em flagrante por extorsão mediante sequestro e Pablo por porte ilegal de arma de fogo. 
A ação contou com apoio da Coordenação de Operações Especiais (COE) da PC. Pablo irá para o sistema prisional, enquanto que Carlos foi encaminhado para a Corregedoria da Polícia Militar.
Informe baiano

tags

0 comentários:

Postar um comentário